fbpx

Direção consciente!

cinto-de-seguranca_6201

Embora seja um item essencial para garantir o bem-estar do motorista e dos passageiros, o cinto de segurança nem sempre é levado a sério.Seja por distração ou descuido, muitas vezes as pessoas se esquecem de utilizá-lo.
Outro engano comum é achar que o equipamento de proteção só é necessário em viagens longas, em alta velocidade ou apenas no banco da frente.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o uso do cinto de segurança é obrigatório tanto para o condutor quanto para os passageiros. Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 20% da população não usa o equipamento no banco da frente. No banco traseiro, a desobediência chega a 50% dos entrevistados. Só no primeiro semestre de 2015, a Polícia Rodoviária Federal aplicou 152 mil multas pelo não cumprimento da regra.

Além da multa, quem desobedece essa norma coloca em risco a própria segurança. Como o impacto gerado por colisões e freadas bruscas costuma ser muito forte e pode projetar o passageiro para a frente, o descuido com o cinto também apresenta risco para as outras pessoas no veículo. Após a parada repentina, os ocupantes se movem na mesma velocidade em que o carro estava antes da colisão. Na ausência do equipamento, o deslocamento pode causar ferimentos graves, principalmente se a pessoa se chocar contra o volante, o painel ou o para-brisa.

O cinto de segurança foi fundamental para garantir a proteção da jornalista Clarice Mendes. “Eu estava voltando para casa e chovia muito. O freio falhou, o carro rodou e bateu em um ônibus”, explica. Para ela, é indispensável usar o dispositivo mesmo em distâncias curtas. “Às vezes, as pessoas não colocam o cinto porque já estão perto de casa e acham que é seguro. O carro deu perda total, se eu não estivesse usando o equipamento, teria sido atirada para fora do veículo”, afirma.

Mesmo nas vias urbanas e em baixa velocidade é importante se prevenir e não subestimar a importância do equipamento de proteção. Também é preciso ter atenção redobrada com as crianças para garantir que elas usem o dispositivo corretamente. Lembre-se que crianças de até dez anos devem viajar no banco traseiro, devidamente protegidas pelo cinto de segurança. Para crianças menores, é importante usar equipamentos especiais de acordo com o tamanho, como assento infantil, assento conversível ou cadeirinha de segurança.

Não deixe que o descuido ou a falta de hábito te exponha a riscos. Use sempre o cinto de segurança e exija que todos os passageiros façam o mesmo.

Fonte/foto: www.blogdaale.com.br/direcao-consciente/#sthash.SDPjSvaf.dpuf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *